Seu trabalho em boas mãos

You may like:

Ligue para: (21) 96738-7614

  • No products in the cart.
Image Alt

Dr. Jorge

  /  Trabalhos Acadêmicos   /  Aprenda a fazer uma revisão bibliográfica

Aprenda a fazer uma revisão bibliográfica

Fazer uma boa revisão bibliográfica é uma habilidade essencial para estudantes universitários. Isso porque é uma das bases de trabalho para quem quer de entrar em uma carreira acadêmica. Também outros campos que envolva a escrita analítica ou persuasiva se valem de revisão bibliográfica. Acompanhe, pois, nossas dicas!

Mas o que é uma Revisão Bibliográfica?

Também chamada de Fundamentação Teórica, ela é a parte do trabalho acadêmico em que você traça um mapa de pesquisa. Como todo mapa, servirá para que você se oriente, conheça os caminhos já traçados por outros pesquisadores mais experientes e descubra mesmo se há rotas ainda inexploradas. Ao escrever uma tese, dissertação ou trabalho de pesquisa, você terá que realizar uma revisão da literatura para situar sua pesquisa no conhecimento existente.

Para que serve a Revisão bibliográfica?

Com uma revisão bibliográfica bem feita, você conseguirá introjetar em seu acervo de estudos uma grande gama de trabalhos essenciais a respeito do tema que você pesquisa. Ela serve para demonstrar e firmar a sua familiaridade com o assunto e com o contexto acadêmico em que ele se insere. O seu trabalho fará parte da “comunidade acadêmica” ao citar e dominar os estudos precedentes acerca do tema elegido.

Afinal, a pesquisa científica não se faz sozinho, mas conta com o apoio e avanços daqueles que já passaram pelas questões antes de nós. Com isso, você desenvolverá, portanto, uma estrutura teórica e metodologia para sua pesquisa com base em fontes confiáveis. Com o tempo, você poderá até se posicionar em relação a outros pesquisadores e teóricos e, o que será importante para a sua inserção na comunidade científica, mostrar como a sua pesquisa aborda uma lacuna ou contribui para um debate ainda em aberto.

Qual é o seu problema?

Conta pra gente, abra o coração… o que você quer, afinal, com este trabalho? Antes de começar a procurar por referências bibliográficas, você precisa de um problema claramente definido. O ponto de partida de toda redação acadêmica e científica é ter um assunto a ser problematizado. Por isso, antes de mais nada, você deve escolher um tópico com o qual trabalhar. Mas isto não basta. Escolha, ainda, uma pergunta para ser respondida na sua pesquisa.

A sua revisão bibliográfica deve ser conduzida por um problema central. Ou seja, não se trata de colecionar estudos aleatórios só por se tratarem, amplamente, da mesma área. Há uma enormidade de problemas e abordagens diferentes para se tratar de mesmos temas gerais. Você elencará, na revisão, uma série de estudos anteriores que pretenderam dar resposta ao problema que você escolheu trabalhar. Tais respostas serão interpretadas e analisadas por você. Esta é a essência de um trabalho de revisão bibliográfica!

O passo é maior que a perna?

Algo que os professores orientadores costumam reclamar com frequência nos trabalhos de seus alunos (e com toda a razão!) é a vontade de abarcar o mundo ou resolver todos os problemas de um assunto num só trabalho. Calma! A vida é curta e a arte longa, mas ainda dará tempo para fazer muitos trabalhos e resolver muitos problemas pequenos. Verifique, pois, se a sua pergunta de pesquisa não é muito ampla ou muito estreita. É gerenciável? Possível pôr em prática a realização do projeto? é uma pergunta difícil demais, mesmo para os autores que já trabalharam a questão anteriormente?

Faça uma lista de palavras-chave. Comece criando uma lista de palavras-chave relacionadas à sua pergunta de pesquisa. Inclua cada um dos principais conceitos ou variáveis de seu interesse e liste todos os sinônimos e termos relacionados. Você pode adicionar a esta lista se descobrir novas palavras-chave no processo de sua pesquisa bibliográfica. Comece, então a escrever sobre termos e palavras-chave relacionados à sua pergunta. Estes serão úteis para pesquisas mais tarde. Se você tiver a oportunidade, discuta seu tópico com seu professor.

Especifique o Escopo de Sua Revisão Bibliográfica

Assim como você não conseguirá resolver todos os problemas do assunto escolhido, você também não conseguirá, para um trabalho com prazo correndo, ler todos os trabalhos, livros, papers publicados sobre o tema que você decidiu trabalhar. Tenha, portanto, em mente, quantos livros e estudos você precisará ler e analisar, em média, para dar conta de responder a pergunta central de seu trabalho. Lembre, também, de especificar um período para o estudo. Se você trabalha História de um determinado evento que passou a ser conhecido apenas com descobertas arqueológicas recentes, será infrutífero pesquisar estudos anteriores às tais descobertas arqueológicas. Do contrário, as publicações posteriores e mais recentes trarão cada vez mais elementos para a descoberta dos tópicos a serem trabalhados.

Onde achar as Referências Bibliográficas

Além, obviamente, da biblioteca! Você precisa de bancos de dados (database) para encontrar os melhores estudos para sua pesquisa. Aí vão, pois, alguns deles: SciELO, ERIC, Google Acadêmico, periódicos (Portal da CAPES), BDTD, Science.gov e ScienceResearch.com . Há muitos outros, mas esses são apenas os mais acessados. Eles te permitirão acessar o conteúdo por assunto, mas também categorizados por disciplina. No entanto, ao encontrar várias publicações sobre o tema, corra atrás do currículo lattes dos vários pesquisadores encontrados, procure outros artigos e trabalhos deles. Use suas palavras-chave para começar a procurar fontes nos sites citados.

Assim, portanto, você poderá ir às referências bibliográficas dos vários artigos para, então, encontrar facilmente aqueles livros e referências que todos citam. Esses serão, pois, os estudos mais importantes e renomados na área e que você, com certeza, não deve fazer vista grossa! Leia o resumo para descobrir se um artigo é relevante para sua pergunta. Quando você encontra um livro ou artigo útil, pode verificar a bibliografia para encontrar outras fontes relevantes. Para identificar as publicações mais importantes sobre o seu tópico, observe as citações recorrentes. Se os mesmos autores, livros ou artigos continuarem aparecendo em sua leitura, procure-os.

Leia e resuma!

Colecionar impressos ou em pastas no computador os vários estudos que outras pessoas fizeram sobre o tema que você quer saber pode até te trazer alguma segurança, mas não te trará as respostas, muito menos o trabalho feito! Chegou a hora de arregaçar as mangas, encontrar tempo e paz de espírito e ler cada estudo individualmente, sem nunca misturar as coisas. Se necessário, organize um cronograma de leitura, para que você não se perca na avalanche de páginas que faltam. Leia um pouco, faça um resumo. Leia mais um pouco, faça mais um resumo. Você provavelmente não conseguirá ler absolutamente tudo o que foi escrito sobre o tópico – precisará avaliar quais fontes são mais relevantes para suas perguntas. Este trabalho de formiguinha te permitirá acessar as questões centrais tanto dos estudos, em particular, quanto do problema a ser resolvido, em geral.

Ao resumir, tenha em mente certas perguntas que guiam, como que naturalmente, uma boa escrita da revisão. a primeira de todas é sempre ter em mente e se perguntar: Qual foi a pergunta de pesquisa do estudo que eu estou revisando?” Isso é importante, pois às vezes os estudos só têm o mesmo nome ou aparentam tratar da mesma coisa, mas não respondem em nada a pergunta que você tem. Por isso, pergunte também o que os autores estavam tentando descobrir em seus estudos. Algo importante, mas às vezes ignorado, é saber se a pesquisa foi financiada por uma fonte que poderia influenciar as descobertas. Por exemplo: não é lá tão cientificamente confiável estudar os benefícios nutricionais do fast-food por fontes de pesquisa financiadas por redes de fast-food. O exemplo é caricato, mas pense em vários outros de nosso dia-a-dia que passam despercebidos!

Converse com o texto

Você perceberá que uma bela revisão bibliográfica nasce à medida em que, em seus resumos, você faz perguntas aos autores e conversa com eles. Ao ler um estudo, procure identificar quais foram as metodologias de pesquisa. Analise sua revisão de literatura, as amostras e variáveis utilizadas, os resultados e as conclusões. A pesquisa parece estar completa? Poderia ter sido conduzido mais profundamente? Que outras perguntas as respostas já encontradas levantam? Algo muito importante a ser feito é observar os teus próprios pensamentos acerca dos resumos comparados. Você percebe conflitos entre um e outro estudo?

Uma boa e verdadeira análise dos dados coletados consiste em descrever e argumentar o que você vê ao comparar um estudo com o outro. Você pensa que um autor está discordando de outro? Em que ponto? Em que sentido? Por quê? O que há de comum e o que há de conflitante? Como poderiam resolver as divergências? Seja muito cuidadoso ao atribuir teses a autores, mas faça, pois um bom resumo depende disso.

Outras dicas para resumir

Você pode descobrir quantas vezes um artigo foi citado no Google Scholar – uma alta contagem de citações significa que o artigo foi influente no campo e certamente deve ser incluído na sua revisão de literatura. O escopo de sua revisão dependerá de seu tópico e disciplina: nas ciências você costuma revisar apenas literatura recente, mas nas ciências humanas você pode ter uma longa perspectiva histórica (por exemplo, para rastrear como um conceito mudou de significado ao longo do tempo) . Faça anotações e cite suas fontes, pois, enquanto você lê, você também deve começar o processo de escrita. Faça anotações que você possa incorporar posteriormente ao texto de sua revisão bibliográfica.

É importante acompanhar suas fontes com citações para evitar plágio. Pode ser útil fazer uma bibliografia anotada, onde você compila informações completas de citações e escreve um parágrafo de resumo e análise para cada fonte. Isso ajuda a lembrar o que você lê e economiza tempo posteriormente no processo.

Identificando padrões

Tal como acontece nos filmes de investigação, você também poderá se divertir muito investigando um assunto e realizando uma revisão bibliográfica. Isto porque, conforme você se acostuma com os vários estudos sobre o seu tema de pesquisa, aos poucos você começará a notar tendências e padrões que se repetem (em teoria, método ou resultados), pois certas abordagens se tornam mais ou menos populares ao longo do tempo. Também nos temas e subtópicos é possível identificar que certas perguntas e conceitos se repetem na literatura. Você passará a identificar com maior facilidade os debates, conflitos e contradições, pois sempre há pontos de discordância entre as fontes.

Há também publicações fundamentais. Tratam-se de estudos ou teorias ou estudos influentes que mudaram a direção do campo de pesquisa. Mas há também, naturalmente, lacunas. E isto pode ser a sua entrada apaixonante na vida acadêmica. Você descobrirá temas que estão faltando na literatura sobre o assunto e que existem pontos fracos que precisam ser resolvidos. Esta etapa te ajudará a elaborar a estrutura de sua revisão de literatura e (se aplicável) a mostrar como sua própria pesquisa contribuirá para o conhecimento existente.

A escrita final

Como qualquer outro texto acadêmico, sua revisão bibliográfica deve ter uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão. O que você inclui em cada um depende do objetivo da sua revisão. Mas em geral, a introdução deve estabelecer claramente o foco e o objetivo da revisão da literatura. No desenvolvimento, dependendo do tamanho da sua revisão bibliográfica, pode vir a calhar dividi-lo em subseções. Assim, você poderá usar um subtítulo para cada tema, opinião de autores diversos, período ou abordagem metodológica.

É importante que você saiba sempre resumir e sintetizar, pois fornecer uma visão geral dos principais pontos de cada fonte e combiná-los em um todo coerente é um grande sinal de que você domina o tema. Além disso, também desenvolver a capacidade de analisar e interpretar: não apenas parafrasear o que você leu, pois você deve adicionar suas próprias interpretações sempre que possível, discutindo a importância das descobertas em relação à literatura sobre o tema como um todo. Por fim, tenha coragem de fazer uma avaliação crítica, ou seja, de mencionar os pontos fortes e fracos de suas fontes, sempre com senso de proporções e respeitosamente. Por fim, sua escrita deve ser feita em parágrafos bem estruturados, usando, então, palavras de transição e frases de fácil memória para estabelecer conexões, comparações e contrastes.

Gostou das dicas? Para mais informações, acesse clicando aqui!

Leave a comment

User registration

You don't have permission to register

Reset Password