Seu trabalho em boas mãos

You may like:

Ligue para: (21) 96738-7614

  • No products in the cart.
Image Alt

Dr. Jorge

  /  Dicas de como estudar   /  Aprendar a conciliar estudos e trabalho

Aprendar a conciliar estudos e trabalho

Outro dia eu estava lendo uma matéria da Carta Capital que mostra que 70% dos estudantes universitários brasileiros trabalham. Embora se reconheça que o trabalho de um estudante tem várias vantagens, muitas horas de trabalho podem ser prejudiciais à perseverança acadêmica dos alunos. A questão do equilíbrio entre trabalho e estudo é, portanto, de maior importância na redução do risco de abandono acadêmico.

EQUILÍBRIO ENTRE TRABALHO ESTUDO 

Trabalhar enquanto estuda pode ser benéfico para o sucesso acadêmico e perseverança de um jovem. O equilíbrio entre estudo e trabalho é o equilíbrio a ser encontrado entre estudos e trabalho e as condições necessárias para que haja efeitos positivos para os jovens, que devem priorizar seu sucesso acadêmico. Os estudiosos na área de terapia ocupacional costumam afirmar que um estudante se sai melhor na faculdade com um emprego de menos de 15 horas por semana do que sem um emprego. Porém, o estudante é menos bem-sucedido quando trabalha mais de 15 horas por semana. 

ACÚMULO

Portanto, o efeito negativo no sucesso acadêmico aumenta ainda mais para mais de 30 horas de trabalho por semana. A documentação do acúmulo de atividades semanais de acadêmicos (aulas, trabalho escolar, trabalho remunerado etc.) revela que alguns estudantes que dedicam mais de 20 horas por semana ao trabalho remunerado acumulam mais de 60 horas de atividades por semana. Isso quando se fala de jovens solteiros, pois, à medida que se acrescentam as responsabilidades do lar e de filhos, a carga horária fica completamente preenchida!

UMA QUESTÃO DE EQUILÍBRIO?

Vida acadêmica e vida profissional: por que falamos de equilíbrio? Pois, o motivo é fácil de entender. Em um caso, você é convidado a dar o melhor de si, a alcançar objetivos incorporados nas notas e avaliações. Em outros casos, você ainda é jovem, cheio de energia, sem muitas restrições familiares e deseja aproveitar esse tempo precioso. Ou, no caso da maioria, tem um emprego que te consome quarenta horas semanais e gostaria de curtir um pouco. O resultado é que você fica dividido entre dois mundos muito diferentes, porque isso realmente é um conflito.

As experiências que você tem fora dos estudos ajudam a construir sua personalidade e torná-lo um indivíduo único. Quer você perceba ou não, você é um aprendiz ao longo da vida. Ou seja, você vai aprender no trabalho o que você usará na faculdade e na faculdade o que você usará num emprego melhor. Mais tarde, mobilizando suas experiências e conhecimentos para enriquecer sua compreensão e análise, você verá como vale a pena o esforço.

DESCANSO É IMPORTANTE

Além disso, ninguém espera que você fique imerso em livros e livros didáticos vinte a quatro horas por dia, sete dias da semana. Sua universidade raramente exigirá que você trabalhe mais do que o necessário, restringindo aulas, oficinas e similares. Estima-se, portanto, que você não dedique mais de 30 horas semanais para isso. Por fim, ao aprender a gerenciar seu tempo, especialmente o tempo gasto em estudos, você terá tempo de sobra para outras atividades. Tão importante quanto o número de horas gastas lendo e escrevendo é pensar no tempo. Isso porque seu cérebro precisa de tempo e descanso para processar novas informações. Além disso, seu corpo precisa de exercício e sono para mantê-lo alerta, concentrado e eficiente.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Claro que tudo isso, como tudo na vida, tem suas vantagens e desvantagens. Para um aluno, ter um emprego enquanto estuda tem muitas vantagens, principalmente se for na área de atuação na qual ele estuda. No entanto, deixar de respeitar o equilíbrio entre trabalho e estudo pode ter repercussões negativas em seu sucesso acadêmico e em sua vida pessoal. 

BENEFÍCIOS

De benefícios, podemos apontar que o aluno se familiariza com o mercado de trabalho e seus requisitos. Além disso, ele conhece melhor seus interesses profissionais, adquire habilidades e conhecimentos para exercer a profissão e desenvolve seu senso de responsabilidade e autonomia. Além disso, ele ainda aumenta sua autonomia financeira e obtém um círculo de contatos que lhe será importante no futuro.

DESVANTAGENS

Quanto às desvantagens, em primeiro lugar é o evidente prejuízo de tempo para os estudos em relação aos demais alunos. Com isso, como é de se esperar, chegam também as o atraso e absentismo em aula e, portanto, maior estresse e fadiga, Além disso, também há a diminuição da concentração e motivação acadêmica e, muitas vezes, aumento dos hábitos alimentares não saudáveis, uso de cigarro, álcool e drogas.

JOVENS NO MERCADO DE TRABALHO

A presença de jovens no mercado de trabalho preenche necessidades significativas de trabalho. O fenômeno do emprego estudantil está presente em São Paulo como em todo o Brasil. Dados do IBGE mostram que, entre 2010-2011, 30% dos estudantes do ensino médio em São Paulo mantiveram um emprego durante os estudos. Essa porcentagem aumenta para 71% entre os alunos de graduação. Além disso, Em 2011, 42% das pessoas de 15 a 24 anos em estudos de tempo integral tinham emprego e possuíam o recorde paulistano de mais horas trabalhadas por semana (14,7 horas / semana). Já em 2011, mais da metade dos alunos e estudantes de 15 a 24 anos trabalhavam nos setores de Comércio varejista (32,5%) e Hospedagem e restauração (20,7%). 

JORNADA DUPLA – TRABALHO E ESTUDO

Havia, portanto, 13.622 empresas nesses dois setores combinadas na grande São Paulo em 2014. Portanto, é um grande número de empregadores a serem conscientizados da importância do equilíbrio entre estudo e trabalho. Além do mais, em 2013, 41% das meninas de 15 a 19 anos que estudavam em período integral trabalhavam. Isso em comparação com 31% dos meninos. Desses, 17,3% dos meninos do ensino médio com um emprego de estudante trabalham 16 horas ou mais por semana em comparação com 11,2% das meninas. Em 2011, 43% dos jovens do ensino médio trabalhavam enquanto estudavam. Entre eles, 14% trabalham 16 horas ou mais por semana.

(Fonte: “Jovens no Mercado de trabalho”, Brasil escola: https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/educacao/a-insercao-jovem-no-mercado-trabalho.htm )

COMO PRIORIZAR OS ESTUDOS?

Diante de uma realidade tão cansativa para os estudantes-trabalhadores, somos levados a questionar: como priorizar os estudos? Se vários elementos de um projeto, como o de se formar na Universidade, podem ser ajustados durante sua realização, como os recursos alocados a ele ou seu orçamento, existe um em que não podemos agir: o tempo.

É por isso que a priorização de tarefas é essencial para o sucesso acadêmico. Infelizmente, é muito comum dedicar tempo e dinheiro à realização de tarefas que serão, em última análise, menos importantes, deixando de lado as ações essenciais. A priorização criteriosa do estudo é, portanto, uma condição sine qua non para o sucesso de uma carreira.

EM QUE CONSISTE A PRIORIZAÇÃO?

A priorização é a ação de decidir qual tarefa é a mais importante em um instante “t” para alcançá-la como uma prioridade. O objetivo é garantir que você esteja trabalhando no que é realmente importante e que não se perca e nem perca tempo (e, sem dúvida, dinheiro) em tarefas menores, cuja conclusão pode ser facilmente adiada.

PENSANDO A FRENTE

Pegue o exemplo de um jovem que trabalha como gerente numa loja de departamento há alguns anos, mas curso faculdade de Direito e precisará, daqui há dois anos, estagiar na área a fim de cumprir todos os créditos exigidos. O emprego é, certamente, muito importante, mas ele viu antecipadamente que será necessário dar um tempo para priorizar o estágio. Como ele está pensando dois anos a frente, terá os meios e condições de planejar como fará esta ação.

Portanto, vemos que é necessário caracterizar com precisão a importância e a urgência de cada tarefa. Lembre-se de que uma tarefa muito importante não será necessariamente urgente e pode ser de menor importância, mas representa um pré-requisito para outras ações.

MANTENDO O EMPREGO

Se voltarmos ao nosso exemplo, manter o emprego é de grande importância, pois é ele que permite pagar a mensalidade da faculdade e manter o custo de vida do estudante. No entanto, daqui a dois anos, quando ele precisar estagiar, não será mais uma tarefa urgente, pois com o devido planejamento, ele poderá conversar com o superior e até mesmo conseguir um acordo de afastamento para que cumpra a carga horária de estágio no setor jurídico da empresa. Assim, os benefícios de todo o planejamento de ações só serão sentidos mais tarde. Por outro lado, estagiar pode consistir numa tarefa menos importante do ponto de vista financeiro, porém será urgente, pois condicionará os desenvolvimentos futuros que precisarão ser validados, ou seja, a formação em Direito.

DEFINIR OBJETIVOS CLAROS

Para quem acumula tarefas no trabalho e na faculdade, é de suma importância ter um objetivo geral e definir claramente o objetivo de cada uma das tarefas referenciadas. Somente nessa condição que será possível determinar com precisão como priorizar as tarefas de acordo com sua importância e urgência.

Cada tarefa deve, portanto, receber uma descrição precisa, um grau de complexidade e uma lista de pré-requisitos e dependências. Ao assumir uma tarefa individualmente, deve ser possível saber exatamente em que consiste, o que trará para o projeto, se depende da conclusão de outras tarefas para poder ser finalizada e se outras tarefas têm alguma. precisa começar.

O papel da priorização de ações é determinar um caminho crítico que permita atingir o objetivo geral (conciliar emprego e estudos, por exemplo), minimizando o esforço a serem empregados, tanto em em termos de despesas, quanto em termos de tempo e recursos.

GERENCIE SEU TEMPO

Gestão do tempo é a chave para o sucesso da vida estudantil. Isso permitirá, portanto, que você concentre seus esforços no que é importante, no momento certo. Planeje seus horários, faça uma lista semanal de tarefas, priorize seu trabalho e estudos conforme a situação exigir. Além disso, distribua tarefas e defina metas por projeto. Ao fim, avalie honestamente o tempo perdido.

Cuidado com o estresse, pois o burn-out também existe entre os estudantes! Excesso de trabalho ou um mau equilíbrio entre a escola e a vida extracurricular podem levar a ataques de pânico, irritabilidade e mudanças de humor. Seguem-se problemas de sono, reações alérgicas e outras formas de depressão. Para evitar todos esses inconvenientes, nada como esporte! Aumente a ingestão de vitamina D fazendo pequenos passeios ao sol. Ria, pratique falar de maneira positiva. Há, enfim, várias maneiras de estimular sua mente a lutar contra o estresse.

NÃO TENTE SER PERFECCIONISTA 

Além disso, não tente ser perfeccionista, pois os perfeccionistas acreditam que se dedicarem “150%” em cada projeto ou tarefa, isso os tornará bem-sucedidos. Na realidade – e ao contrário da crença popular – o perfeccionismo é uma fonte de aborrecimentos sem fim, a atitude perfeccionista geralmente leva à baixa auto-estima, ansiedade, culpa, procrastinação e problemas de relacionamento. Portanto, não tente ser perfeccionista. Dê o melhor de si, consciente dos seus limites, de maneira bastante simples. Para um aluno, o equilíbrio entre os estudos e trabalho requer consciência acima de tudo. Trata-se de estar ciente do impacto das atividades pessoais, de trabalho e de lazer nos estudos. 

CONSCIENTIZE-SE

Para isso, é necessária a conscientização quanto à importância de dedicar tempo à aprendizagem, tendo uma vida social, profissional e atividades culturais e esportivas. É também uma questão de estar ciente dos próprios limites e adquirir as habilidades úteis para gerenciar esse equilíbrio. Saber priorizar, saber se concentrar no essencial, saber dizer não quando necessário. Para que sua vida de estudante seja equilibrada e serena, para que seja (como com seus amigos) os melhores anos de sua vida, é importante que você encontre o equilíbrio certo para você.

O LAZER 

Por que o equilíbrio entre vida acadêmica, vida profissional e lazer é importante? Esteja você no ensino médio, na preparação ou já imerso na vida acadêmica, pense por que é importante um equilíbrio entre seus estudos e trabalho e sua vida extracurricular. Você notará que esse saldo afeta todas as áreas.

Permite que você seja mais eficaz e eficiente sob todos os pontos de vista. Os alunos, embora possam começar com boas intenções, geralmente priorizam o estudo e trabalho em detrimento de fatores pessoais, incluindo relacionamentos sociais e exercícios. No final, não dá certo, com repercussões, portanto, no bem-estar e na saúde. Essas repercussões afetam as relações sociais e a qualidade delas. Trata-se, pois, de nutrir relacionamentos pessoais saudáveis ​​para sentir apoio. Como se trata de uma questão de equilíbrio, é claro, se você dá muita importância aos problemas de relacionamento em detrimento de seus estudos ou do trabalho, pode sofrer rapidamente as consequências. Então você tem que encontrar soluções para combinar estudo e vida pessoal, de um jeito ou de outro.

CONCLUSÃO: O EQUILÍBRIO É FUNDAMENTAL

Além de tudo que foi mencionado, essa jornada toda afeta sua atividade fora da sala de aula: muitos estudantes trabalham para financiar seus estudos. Ter um emprego de meio período é a melhor maneira de se recuperar para uma vida melhor, é claro, mas para essas pessoas, a busca de um equilíbrio entre estudos e vida extracurricular é ainda mais complicada. Se esse for o seu caso, é imperativo que você defina suas prioridades para ter sucesso em assumir todas as funções ao mesmo tempo.

Leave a comment

User registration

You don't have permission to register

Reset Password