Seu trabalho em boas mãos

You may like:

Ligue para: (21) 96738-7614

  • No products in the cart.
Image Alt

Dr. Jorge

  /  Dicas de como estudar   /  Como fazer um doutorado sanduíche no exterior

Como fazer um doutorado sanduíche no exterior

Introdução

Estudar no exterior pode ser o sonho de diversos estudantes, mas não poucas vezes é visto como algo distante e inalcançável, principalmente por questões financeiras. No entanto, há programas que facilitam a realização desse sonho e faz se tornar uma opção viável para muita gente. O doutorado sanduíche é tido como a principal oportunidade para alunos de doutorado continuar seus estudos fora do país. Resumidamente, o programa consiste na disponibilização de bolsas de estudos em universidades no exterior e que sejam conveniadas com o programa de bolsas.

Qual a finalidade do doutorado sanduíche?

O doutorado sanduíche tem como principal objetivo apoiar alunos que estejam formalmente matriculados em um curso de doutorado no Brasil, e que comprovem ter qualificação necessária para poder usufruir de uma oportunidade de aprofundar seus estudos, fazer estágios e realizar pesquisas em um outro país. Essas bolsas de pesquisa no exterior são oferecidas pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), incentivando desse modo pesquisas de níveis mais avançados de conhecimentos que ainda não estão consolidadas aqui no Brasil, além de complementar os esforços despendidos pelos programas de pós-graduação no país, visando formar docentes e pesquisadores gabaritados para serem inseridos no meio acadêmico brasileiro.

Quais os requisitos para participar do programa?

Há alguns requisitos e condições necessários para se candidatar ao programa de doutorado sanduíche, como informa o portal do Ciência Sem Fronteiras:

  • Estar formalmente matriculado em curso de doutorado no Brasil reconhecido pela CAPES.
  • Não ser aposentado.
  • Ter conhecimento do idioma utilizado na instituição de destino.
  • Ter anuência do coordenador do curso de pós-graduação e dos orientadores no país e no exterior.
  • Ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil.
  • Não acumular a presente bolsa com outras bolsas concedidas com recursos do Tesouro Nacional.
  • O projeto de pesquisa deve estar enquadrado nas áreas contempladas pelo Programa Ciência sem Fronteiras.
  • Demais requisitos e condições exigidos em portarias ou normas específicos da CAPES ou do CNPq.

No caso de se tratar de um orientador da instituição de destino, é necessário que seja pesquisador com produção acadêmica já consolidada e que tenha relevância para o desenvolvimento complementar da tese de doutorado.

Quais os países de destino?

Os países disponibilizados pela CAPEs e que fazem parte do regulamento do programa Doutorado Sanduíche são:

  • Alemanha
  • Argentina
  • Áustria
  • Canadá
  • Colômbia
  • Cuba
  • Espanha
  • Estados Unidos
  • França
  • Israel
  • Itália
  • Japão
  • Noruega
  • Países Baixos
  • Portugal
  • Reino Unido
  • Suécia
  • Uruguai

Duração do programa

O programa Doutorado Sanduíche tem um prazo de duração de 3 (três) a 12 (doze) meses, podendo ser prorrogado, desde que respeitando o limite máximo de duração da bolsa (12 meses). A maior parte dos estudos são realizados no Brasil, com o restante na instituição de destino no exterior.

Bolsa

Enquanto estiver fora do país, o aluno será acompanhado por um professor orientador estrangeiro, além de receber uma bolsa auxílio.

É importante destacar que somando a bolsa de doutorado no Brasil com o período do Doutorado Sanduíche no exterior, não seja ultrapassado o período de 48 (quarenta e oito) meses. Já em casos em que há co-tutela entre as instituições de ensino brasileira e estrangeira, previstos em acordos específicos, o tempo de estudo no exterior pode ser estendido em até 24 (vinte e quatro) meses. Quando se fala em co-tuleta refere-se a situações nas quais o diploma de doutorado é emitido pelas duas universidades participantes do programa.

Benefícios

Ao participar do programa de Doutorado Sanduíche, o estudante terá alguns benefícios disponíveis. São eles:

  • Mensalidades que serão calculadas conforme a Tabela de Valores de Bolsas no Exterior.
  • Auxílio-Deslocamento (que pode ser conferido no item 5.2 das Normas Gerais do CNPq);
  • Auxílio-Instalação, com exceção de candidatos residentes no exterior (confira o item 5.3 das Normas Gerais
  • Seguro-Saúde (confira no item 5.4 das Normas Gerais)
  • Taxas Escolares, caso sejam exigidas pela instituição (confira no item 5.6 das Normas Gerais).
  • Taxas de Bancada se foram aplicáveis (confira item 5.7 das Normas Gerais).

Para ter acesso às Normas Gerais da CNPq, basta entrar no site http://www.cnpq.br/web/guest/view/-/journal_content/56_INSTANCE_0oED/10157/515690.

Mensalidade

Independentemente de sua situação financeira, o bolsista tem o direito a uma mensalidade de € 1.100 (um mil e cem euros), que será creditada em uma conta bancária no exterior. Para isso, o beneficiário deve se encarregar de informar a conta. Já a primeira mensalidade é paga ainda no Brasil.

É importante destacar que o bolsista não pode acumular a mensalidade com outro benefício. Desse modo, caso já esteja recebendo bolsa auxílio no Brasil, é necessário pedir a suspensão desta no período em que estiver no exterior.

Passagem Aérea

O bolsista também tem direito às passagens aéreas de ida e de volta na classe econômica e tarifa promocional.

Seguro Saúde

O bolsista tem direito a € 70 (setenta euros) por mês, pagos pela CAPES em uma única parcela, no Brasil, como seguro-saúde em países que não ofereçam este tipo de cobertura.

Auxílio-Instalação

A CAPES ainda paga € 100 (cem euros) por mês, em uma única parcela, no Brasil, como auxílio-instalação para estadas superiores a quatro meses.

Documentos necessários para a inscrição

Tendo se enquadrado no perfil desejado e possuindo todos os requisitos para participar do programa, o primeiro passo para se inscrever para o Doutorado Sanduíche é preencher o Formulário de Propostas no site: http://efomento.cnpq.br/efomento/ . Os demais documentos necessários são:

  • Currículo do candidato ao programa cadastrado na Plataforma Lattes.
  • Currículo do orientador no exterior em formato de home page ou arquivo anexado.
  • Plano de trabalho e/ou projeto de pesquisa para o período da bolsa.
  • Anuência formal do coordenador do curso de pós-graduação no qual o candidato está matriculado.
  • Anuência formal da instituição de destino do candidato, sendo emitida pelo órgão responsável por sua admissão. Isso inclui informação sobre o idioma e o nível de proficiência mínimo exigido, bem como eventuais cobranças de taxas escolares e de bancada, e respectivos valores por ano.
  • Concordância dos orientadores no Brasil e no exterior em relação às atividades propostas.
  • É necessário que seja confirmado por parte do orientador no exterior de que o candidato tem conhecimento suficiente do idioma exigido para a realização das atividades que estão previstas, ou um comprovante de proficiência no idioma, no caso de ser exigido pela instituição de destino.
  • Histórico escolar do candidato da graduação, da pós-graduação e do doutorado em andamento
  • Declaração da coordenação do programa de pós-graduação no Brasil demonstrando o complemente de ao menos 70% dos créditos no doutorado
  • Declaração do orientador brasileiro indicando a instituição no exterior e o período.

O Processo Seletivo

O processo seletivo para o programa Doutorado Sanduíche possui algumas etapas eliminatórias. Após a análise de todos os documentos exigidos, os candidatos são selecionados de acordo com seu currículo, o currículo do orientador no exterior, o mérito da proposta, bem como o conceito internacional do grupo de pesquisa no exterior e classificados em comparação com os demais candidatos.

Quando se trata de aluno estrangeiro, antes da assinatura do Termo de Compromisso e Aceitação, o bolsista deve obter um visto permanente no Brasil atualizado, mantendo o documento sob sua guarda até o termino do processo.

Conclusão

Como demonstramos, obter uma bolsa por meio do programa Doutorado Sanduíche pode ser o melhor caminho para quem tem interesse em fazer um doutorado no exterior. Programe-se para tal empreitada e siga as dicas aqui fornecidas. Estudar no exterior não é um sonho tão distante quanto parece.

Esse artigo foi útil? Você gostou? Se sim, compartilhe em suas redes sociais! Se você tem algum dúvida entre em contato comigo, eu posso ajudá-lo a organizar seus estudos. Clique AQUI!

Leave a comment

User registration

You don't have permission to register

Reset Password