Seu trabalho em boas mãos

You may like:

Ligue para: (21) 96738-7614

  • No products in the cart.
Image Alt

Dr. Jorge

  /  Uncategorized   /  O Segredo para uma Dieta Balanceada para Estudantes

O Segredo para uma Dieta Balanceada para Estudantes

Para colocar todas as potencialidades a seus favor e fazer sucesso a cada semestre, os estudantes conhecem as melhores práticas: integração e sociabilização, assiduidade e regularidade no trabalho, autonomia. No entanto, por vezes esquecem a importância que a alimentação pode ter. Longe de “papai e mamãe”, 35% dos alunos teriam uma alimentação desequilibrada. Por falta de tempo, dinheiro ou organização … Porém, a sua alimentação influencia na sua forma, no seu peso, na sua moral e até as suas capacidades acadêmicas dia após dia!

O consumo de alimentos ruins entre universitários

Li uma pesquisa de uma cliente nutricionista que mostra que 35% dos estudantes cariocas acreditam ter uma dieta desequilibrada. E o número sobe para 38% para os alunos dos primeiros anos de estudos de pós-graduação, enquanto cai para 22% para os alunos de doutorado. É verdade que quando você não mora mais com seus pais, tem que pensar em encher a geladeira! E, entre os exames para revisar e as saídas com amigos, raramente você agenda para fazer compras. Resultado: os jovens de 18 a 25 anos consomem poucas frutas e vegetais, mas costumam ser fãs de sanduíches, espetinhos e pizzas. Além disso, consomem esses alimentos às pressas para acalmar a fome, pular refeições e compensar ansiedade com doces e barras de chocolate. Tudo, porém, o que nossos queridos nutricionistas não aconselham!

Dieta cetogênica

Mas, o que mais me impressionou na pesquisa que li foi o que essa minha amiga nutricionista propunha na pesquisa. Isso porque, assim como eu, tenho certeza de que você já teve problemas para se concentrar por várias horas seguidas. Ou mesmo por 10 minutos! Que você às vezes esquece bobagens, como o que tinha que comprar no supermercado, ou o endereço do mecânico local. Portanto, é provável que todos os dias você tenha má memória ou dificuldade de concentração (isso também acontecia muito comigo). Você sabia que a dieta cetogênica tem muitos benefícios para aumentar a concentração, melhorar a memória e impulsionar as funções cerebrais? Imagine se você pudesse alcançar o desempenho dos seus sonhos, seja praticando esportes (uma boa partida de futebol) ou simplesmente malhando. Além disso, a dieta cetogênica é muito interessante para a vida acadêmica, eu mesmo experimentei (é formidavelmente eficaz, vou explicar tudo para você).

Mas por que a dieta cetogênica melhora o funcionamento cerebral?

Poucos carboidratos, muita gordura, proteína moderada. Mas por que essa dieta para estudantes? Porque, explicam os médicos e nutricionistas, esse tipo de alimentação reequilibra a bioquímica do cérebro e ajuda a combater a inflamação, a dor e a morte prematura dos neurônios. A principal vantagem da dieta cetogênica sobre todos os outros tipos de dieta – até mesmo a dieta de baixo teor de carboidratos é sua capacidade de aumentar os níveis de corpos cetônicos (cetonas) no corpo. Ao usar cetonas como energia, obtemos benefícios novos e únicos que nenhuma outra dieta pode oferecer. Isto porque o melhor combustível para o seu cérebro não é o açúcar, mas sim os corpos cetônicos, compostos derivados da gordura.

Uma alternativa interessante – não milagrosa

A dieta cetogênica não é uma dieta milagrosa, mas é uma dieta baseada em pesquisas científicas centenárias e que hoje é indiscutivelmente uma das melhores estratégias contra distúrbios e doenças que afetam o cérebro. Ela protege os neurônios e as funções cerebrais. Além disso, melhora o bem-estar dos pacientes e complementa a ação dos tratamentos convencionais. Por fim, é fácil de seguir e, acompanhada de médico e nutricionista, é muito segura.

Os benefícios exclusivos da dieta cetogênica estão na sua cabeça!

Em seu cérebro, mais precisamente. Pois, quando você reduz a ingestão de carboidratos, ocorrem reações diferentes para satisfazer seu corpo com açúcares. Primeiro, o corpo usa seus estoques de glicogênio. Pois o glicogênio é um carboidrato usado para armazenar energia e para liberar glicose rapidamente quando necessário. Depois que o glicogênio se esgota, o corpo começa a produzir glicose dos músculos, um processo chamado gliconeogênese. E então, para evitar o colapso muscular, o fígado sintetiza cetonas a partir de ácidos graxos. Então essas cetonas serão usadas pelo corpo para gerar a energia do seu corpo e, principalmente, do seu cérebro. Isso ocorre porque o cérebro não pode usar lipídios puros. Eles devem ser sintetizados em corpos cetônicos (cetonas). Quando o corpo se adapta à dieta cetogênica, as cetonas constituem cerca de 75% de suas necessidades energéticas.

Efeitos

Os efeitos, portanto, são a perda de peso (quando se controla o consumo de gorduras boas). Mas, muito além disso, melhora da concentração. Seus níveis de energia, portanto, serão excepcionais. Pois você dará um “reset” do corpo e terá uma saúde fantástica. Você será uma pessoa diferente.

A dieta cetogênica ajuda a aumentar sua memória

A dieta cetogênica ajuda a aumentar sua memória, isso porque 60% da massa cerebral é gordura. Portanto, eles estão todos lá: ácidos graxos saturados, monoinsaturados e poliinsaturados. Também existe o colesterol. Além de fornecer energia ao cérebro, esses ácidos graxos desempenham um papel importante na memória e nas funções cognitivas. Uma dieta pobre em carboidratos, como a dieta cetogênica, tem efeitos benéficos na memória de pessoas mais velhas e muito mais na de jovens estudantes. Pesquisadores da Oxford demonstraram o impacto positivo de uma dieta pobre em carboidratos nas funções de memória de 23 adultos com funções cognitivas danificadas, bem como os impactos nos próprios estudantes voluntários. Os efeitos são extremamente promissores e, portanto, é uma dieta indicada para quem se dedica aos estudos.

Dieta cetogênica e o sistema nervoso

Um estudo concluído em 2012 descobriu que crianças com epilepsia que seguem uma dieta cetogênica melhoraram o estado de alerta e o funcionamento cognitivo quando comparadas à farmacoterapêutica antiepiléptica tradicional. Este estudo também descobriu que a dieta cetogênica também pode ser benéfica para o tratamento de outras doenças do sistema nervoso central (SNC), como doença de Alzheimer, doença de Parkinson e lesão cerebral traumática (TBI). Foi proposto que mais investigação sobre a dieta cetogênica é necessária para compreender seus benefícios potenciais para lesões cerebrais traumáticas e seu papel com a neuroproteção. No geral, ela ajuda o funcionamento do cérebro e para usar sua energia com mais eficiência.

Cetonas: uma fonte de energia muito mais eficiente do que a glicose

E essas cetonas são uma fonte de energia muito mais eficiente e duradoura do que a glicose. Porque, basicamente, os benefícios exclusivos da dieta cetogênica estão na sua cabeça. Mas o que acontece quando seu cérebro usa cetonas para funcionar? As cetonas são antioxidantes neuro-protetores. Assim, elas evitam que os radicais livres degradem os neurônios. (Lembrete: os antioxidantes são produtos químicos encontrados nos alimentos que ajudam a prevenir reações em cadeia dramáticas geradas por radicais livres. Compostos gerados pelo corpo e um ambiente ruim, por exemplo, a poluição). Além disso, as cetonas são uma fonte de energia mais eficiente do que o açúcar, por unidade de oxigênio. Isso significa que para cada molécula de oxigênio, as cetonas fornecerão mais energia ao cérebro do que o açúcar, e de uma forma mais sustentável.

Sabe aquele sono depois de comer?

Por isso aquela sua “soneca” de três horas depois de um prato enorme de macarronada! Pois uma soneca de três horas depois de uma enorme salada com couve, abacate e salmão é muito menos provável (a menos que você não tenha dormido na noite anterior). À medida que o cérebro envelhece, ele perde sua capacidade de usar a glicose com eficiência, portanto, as cetonas são uma ótima alternativa. As cetonas melhoram a eficiência das mitocôndrias. Pois elas ativam os genes responsáveis ​​pelo metabolismo energético das mitocôndrias, ao mesmo tempo que estimulam a produção de mitocôndrias em cada célula. E especialmente nas células cerebrais (neurônios), portanto, é ótima para quem estuda. O principal papel das mitocôndrias é fornecer às células a energia de que precisam para desempenhar as funções que deveriam desempenhar. Basicamente, as cetonas aumentam as habilidades dos neurônios, protegendo o cérebro de derrames e outras doenças neurodegenerativas.

A dieta cetogênica é boa para agora e para o seu futuro.

Porque diminui drasticamente as reações inflamatórias no cérebro, a dieta cetogênica seria recomendada para a doença de Alzheimer ou doença de Parkinson, de acordo com pesquisadores americanos. Definitivamente, a dieta cetogênica é, portanto, boa. Já recomendado por cientistas para a doença de Crohn e epilepsia, também reduz o risco de esquizofrenia e nos ajuda a perder peso. O princípio? Prefira as gorduras “boas” no prato (ômega-3, ômega-6, ômega-9 …) em detrimento dos carboidratos e proteínas. Assim, como parte da dieta cetogênica, produtos industriais ricos em gordura saturada não são recomendados. Além disso, os laticínios são limitados a 2 porções por dia e o produto estrela é o óleo de coco. De acordo com um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade da Califórnia (nos Estados Unidos), a dieta cetogênica é benéfica para o cérebro, especialmente em pessoas com doença de Alzheimer ou Parkinson, mas também em jovens que querem prevenir.

Pensando no futuro – mudança de hábitos

Por isso, se você é um estudante universitário e pretende permanecer estudando por mais alguns anos, é bom pensar agora em seu futuro. Você precisará manter seu cérebro e seu organismo como um todo em ordem, porque ele é sua fonte de trabalho. Assim como um soldado, quando não está em guerra, está cuidando de manter a ordem de suas armas e instrumentos, também o intelectual deve fazê-lo. Com o próprio corpo. É muito comum encontrarmos até professores universitários que passam o dia todo dando aula e pesquisando, mas que não se alimentam direito. Boa parte deles ainda têm hábitos ruins e são verdadeiramente viciados em açúcar por conta dos picos glicêmicos que o consumo de carboidratos e doces causa. Mas esses benefícios são muito instáveis e, a longo prazo, só causam inflamação e doenças.

Sempre é tempo para mudar!

Na verdade, essas comidas ricas em açúcares e calorias vazias favorecem as gorduras ruins e os açúcares rápidos, em detrimento dos produtos frescos ricos em nutrientes. A falta de vitaminas repercute no dinamismo do organismo, na pele, na circulação. Um déficit de açúcares lentos atrapalha o funcionamento do cérebro. Não é à toa que onze por cento dos alunos alcançam obesidade muito acentuada com risco para a saúde e doze por cento têm magreza anormal. Sem falar na depressão, estresse, alterações de humor e dificuldade de concentração. Por isso você, enquanto é jovem, deve pôr a mão na consciência (ou na frente da boca) e pensar se o que você está ingerindo é de fato alimento ou lixo.

Refeição cetogênica

O que é uma refeição cetogênica? Uma refeição desse tipo acolhe nozes, óleos, produtos de coco, creme e abacate e deixa pouco espaço para fontes de proteína. Além disso, vegetais e frutas também são quase completamente excluídos dessa dieta por causa de sua alta ingestão de carboidratos. Os produtos à base de cereais devem ser completamente proibidos pelo mesmo motivo: massas, pão, arroz, bolos, etc. No entanto, é possível cozinhar versões cetogênicas desses alimentos. Com um pouco de criatividade é possível servir refeições apetitosas e saborosas.

Dieta cetogênica: um impacto real no cérebro

Na verdade, graças a vários experimentos, os cientistas descobriram que a dieta cetogênica (que “modifica” o metabolismo para que o corpo consuma gorduras em vez de açúcar) reduziu significativamente as reações inflamatórias no cérebro, pois, sabemos agora, tem relação com o desenvolvimento da doença de Alzheimer, doença de Parkinson e esclerose múltipla. “As reações inflamatórias no cérebro são controladas por muitos fatores: hábitos alimentares, por exemplo”, explicam os pesquisadores da revista especializada Nature Communications.

Conclusão

Estudos também mostram que a dieta pode ter efeitos benéficos no nível cognitivo, entre outras coisas, melhorando o estado de alerta, a concentração e a compreensão. Você não precisa, nem deve, improvisar uma dieta cetogênica sozinho em casa! Deve ser supervisionado, portanto, por uma equipe médica incluindo a nutricionista, que estabelece um plano nutricional rigoroso. Assim, importantes acompanhamentos e ajustes de rotina devem ser esperados. Seguir a dieta cetogênica não significa comer gorduras. Este é um cálculo complexo e uma gestão igualmente complexa de nutrientes, tolerância e efeitos colaterais desse tratamento. Atenção: para a dieta cetogênica, há contra-indicações (insuficiência renal, doenças que bloqueiam a cetogênese …). Além disso, não hesite em pedir conselho ao seu médico antes de começar.

Leave a comment

User registration

You don't have permission to register

Reset Password