Seu trabalho em boas mãos

You may like:

Ligue para: (21) 96738-7614

  • No products in the cart.
Image Alt

Dr. Jorge

  /  Uncategorized   /  Você sabe o que é o BURNOUT? Cuide de seu tempo e de sua mente!

Você sabe o que é o BURNOUT? Cuide de seu tempo e de sua mente!

Symbolfoto zum Burn-out-Syndrom. [(c) J O E R G L A N T E LM É, GINSTERWEG 8, D-34125 K A S S E L (H E S S E N), T E L.: 0172-2801434, E M A I L: JOERGLANTELME@T-ONLINE.DE, W W W .FOTO-KREATIV-KASSEL.DE P O S T B A N K F R A N K F U R T BLZ.: 50010060; KTO.: 0278975604 USt-IdNr.: DE112979780]



Você já ouviu falar em burnout? Muitos dos alunos que eu atendo são brilhantes e, em condições normais, seriam plenamente capazes de terminar sozinhos suas monografias e trabalhos acadêmicos com desempenho, portanto, até acima da média. Estão, porém, esgotados com os estudos e trabalho. Será este seu caso?

O esgotamento profissional há pouco tempo não era ainda oficialmente reconhecido como uma doença mental. Portanto, não estava atualmente listado no Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders IV (DSM IV), o manual médico de transtornos mentais. Porém, ele se enquadra na categoria de distúrbio de ajuste e é conhecido como burnout. Segundo matéria na Revista Forbes, a partir de 2022, a síndrome de burnout entrará na lista de classificação mundial de doenças da OMS. O burnout tem suas raízes no local de trabalho, pois as dificuldades iniciais são concentradas e encontradas no local de trabalho. O burnout também é sempre causado por estresse crônico e o resultado desse estresse. A principal causa seria uma deterioração da qualidade de vida no trabalho, levando a um sentimento de exaustão.

O que é o burnout?

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o burnout é caracterizado por “uma sensação de fadiga intensa, perda de controle e incapacidade de obter resultados concretos no trabalho”. O termo burnout foi usado pela primeira vez em 1969. Foi objeto de muitas definições desde então. Embora, na década de 1970, esse termo tenha sido reservado para trabalhadores da área de saúde e cuidado (enfermeiros, médicos, assistentes sociais e professores), agora se sabe que todos os trabalhadores podem ser exposto ao desgaste, inclusive, é claro, os estudantes.

O que causa o esgotamento?

Segundo especialistas, ninguém está a salvo do esgotamento. Homens e mulheres são afetados em proporções iguais. Além disso, nenhuma faixa etária foi definida como de maior risco. Do ponto de vista biológico, os especialistas ainda precisam explicar completamente o que leva ao esgotamento. Por outro lado, todos os trabalhadores que experimentam um período de exaustão estão em uma situação de estresse crônico. Portanto, o estresse diaário acumulado é um fator importante de vulnerabilidade. Costuma acontecer entre estudantes do último ano de graduação que precisam entregar seu trabalho de conclusão de curso ou apresentar uma monografia.

Estresse no trabalho e nos estudos


O estresse, positivo (estimulante) ou negativo (paralisante), aparece em várias situações: uma nova situação inusitada, uma mudança rápida, um sentimento de perda de controle, uma situação ameaçadora e desestabilizadora para o indivíduo. Independentemente das fontes de estresse, existe um desequilíbrio entre a pressão experimentada e os recursos internos e externos disponíveis para lidar com ela. Alguns indivíduos exaustos têm dificuldade em reconhecer suas necessidades e expressá-las ao empregador. Além disso, uma maioria esmagadora de alunos têm a mesma dificuldade em expor seus limites ao orientador. Também pode acontecer que mesmo as dificuldades declaradas não sejam atendidas devido à maneira como a organização ou Universidade é gerenciada ou ao tipo de cargo ocupado ou nível de estudo. Alunos de graduação recebem menos atenção que os de mestrado!

A busca pela perfeição e a dificuldade de respeitar os próprios limites, tudo isso somado à pressão ligada à busca de lucro ou desempenho (conceitos elevados na CAPES, número de publicações, etc), leva os indivíduos a um desequilíbrio em suas vidas. Frequentemente, o corpo emite sinais de alerta importantes, como fadiga ou várias infecções frequentes. Burnout não é um problema individual. É a pessoa que está sofrendo, mas as fontes do problema vão além da própria pessoa. De fato, é na interação entre o indivíduo e as estruturas ao seu redor que ocorre o desenvolvimento do burnout. Quanto maior a diferença entre demandas e recursos, maior a
trabalhador ou estudante pode se encontrar em uma situação de desgaste profissional.

Os principais sintomas

Vários sintomas físicos, psicológicos, motivacionais, comportamentais e emocionais aparecem, se instalam gradualmente e se intensificam com o tempo. Entre estes, encontramos: fadiga persistente, dor (dor nas costas,
enxaquecas, etc.), problemas digestivos, úlceras estomacais, problemas de pele, distúrbios do sono, perda ou ganho de peso, infecções frequentes (resfriados, gripes, infecções de ouvido, sinusite etc.). Além disso, sintomas emocionais, como desmotivação constante em relação ao trabalho, desapego ao trabalho, irritabilidade acentuada, raiva espontânea, sensação de incompetência, ineficiência. Nos casos mais graves, portanto, chegamos a encontrar sintomas como desejo de se isolar, sensação de fracasso, diminuição da autoconfiança, ansiedade, preocupação, insegurança, dificuldade em se concentrar, perda de memória, dificuldade em exercer bom senso, indecisão, confusão, e mesmo pensamentos suicidas nos casos mais graves.

Tratamento

O objetivo do tratamento é recuperar sua saúde e criar uma maneira de fazer seu trabalho e estudos de forma satisfatória, sem se cansar. Muitas vezes, é necessário um tempo de folga. A duração da licença médica varia, mas não há tendência entre os médicos de prescrever licenças muito longas. De fato, uma licença muito longa pode dificultar ainda mais o retorno ao trabalho ou ao curso. A recuperação que a licença médica permite é essencial, pois as reservas de energia são esgotadas nas vítimas de burnout.

No entanto, não há descanso suficiente para corrigir o problema e evitar recaídas. Isso porque o descanso não cura o esgotamento. Mudanças reais devem ser integradas à vida dessas pessoas para recuperar um senso de controle sobre a própria vida. Portanto, essa mudança pode ser no ambiente de trabalho, no estilo de vida, no significado dado ao trabalho e ao estudo, ou simplesmente na filosofia ou visão de mundo adotada para viver.

Se você está cansado e precisa de ajuda para se motivar a fazer sua monografia, entre em contato clicando aqui, eu posso te ajudar na parte prática de seu trabalho.



Leave a comment

User registration

You don't have permission to register

Reset Password